Rollemberg: As greves, as notificações da Justiça e uma paráfrase perfeita

791

fotos37Em entrevista ao telejornal DFTV, 1ª Edição (15/Out), um discurso de Rollemberg chamou atenção ao falar da tentativa de, os sindicatos, evitarem o recebimento na notificação judicial que declara a ilegalidade da greve. Isso porque junto com a determinação do fim da greve, há um ‘recheio’ indesejado, uma multa diária de R$ 100 mil, caso os sindicatos não deflagrem o fim do movimento grevista.

Na declaração de Rollemberg: “Todo mundo em Brasília sabe que a greve foi declarada ilegal pelo Tribunal [ Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT)]. O que os dirigentes dos sindicatos estão fazendo e usar artifícios para não receber a notificação. E com isso estão descumprindo uma decisão judicial.”, afirmou Rollemberg.

Artifício é real

Este articulista já presenciou a então tesoureira do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF) e atual presidente da entidade, parar toda estrutura do Sindicato para evitar ser notificada por um oficial de Justiça sobre a ilegalidade da greve.

O caso ocorreu em 11 de julho de 2011, ocasião em que os servidores fizeram paralisação durante a gestão do ex-governador, Agnelo Queiroz (PT). Uma vez que a entidade havia agendado para o dia seguinte (12/Jul/2011), numa terça-feira, a presidente da entidade liberou os funcionários do sindicato para garantir que o prédio ficaria fechado na segunda-feira. Na ocasião o Tribunal de Justiça do DF (TJDFT) havia determinado multa diária de R$ 30 mil.

A tática de dispensar funcionários e manter vazio um prédio de cinco andares, incluindo a portaria, à época, sede do SindSaúde-DF, situada no Setor Comercial Sul, deu certo, porém, o GDF reagiu e pediu que aumentasse o valor da multa para R$ 150 mil. A Justiça reajustou o valor diário para R$ 100 mil.

Na ocasião o SindSaúde-DF, que tinha uma arrecadação mensal estimada em mais de R$ 1 milhão, sem recursos, finalizou a greve em 12 de julho.

E calote do governo, também…

Mas retomando o discurso de Rollemberg, ao dar ênfase na entonação vocal, postural e facial, ao descumprimento de uma decisão judicial, criou um discurso paradoxal uma vez que o motivo de as greves estarem acontecendo ocorre justamente porque o GDF está descumprindo várias Leis que concederam os reajustes aos servidores.

Vale observar que as Leis que reajustaram os salários de mais de 30 categorias de servidores foram, há poucos meses, questionadas pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e, por unanimidade, os 17 desembargadores do TJDFT, deram ganho de causa aos servidores públicos do DF.

Portanto, é factível se concluir que Rollemberg além de descumprir mais de 30 leis no que tange ao reajuste dos servidores, parafraseando-o: todo mundo em Brasília sabe os reajustes foram considerados legais pelo Tribunal (TJDFT).