GDF vai investir R$ 300 milhões em obras

Remédio para crise é emprego. E o Governo do Distrito Federal (GDF) vai aumentar a dosagem de obras para recuperar a economia em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). Até o fim de 2020, serão investidos R$ 300 milhões na construção de novos viadutos, pontes, vias, escolas, hospitais e delegacias, além de pequenos reparos, com a expectativa de gerar 20 mil empregos.

“Estamos trabalhando muito forte dentro do governo porque queremos retomar [a economia]”, afirma o governador Ibaneis Rocha. “Vamos soltar um pacote de obras muito grande para entregar o máximo possível para essa população e dar uma resposta do ponto de vista social, concedendo empregos.”

Os recursos para essas obras estão garantidos e são provenientes do orçamento da União, de operações de crédito, do orçamento local e de emendas parlamentares. O bom diálogo do GDF com o governo federal, com a Câmara Legislativa do DF (CLDF) e instituições financeiras permitiu que a capital não parasse. Por isso, tantas obras estão em andamento ou vão ser licitadas em breve. Quer ver só?

Viadutos

Para 2020, há oito projetos de viadutos com obras em andamento ou prontas para serem licitadas. Uma que já começou a sair do papel é a construção de dois viadutos interligando a Estrada Setor Policial Militar (ESPM) ao Terminal Asa Sul (TAS). Esses monumentos contam com emprego financeiro de R$ 7,6 milhões.

Já o edital de licitação para execução das obras do viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) foi republicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) do dia 16. O processo licitatório deve ser concluído em 120 dias e as obras, iniciadas ainda este ano. Para esse trabalho, serão destinados R$ 26 milhões.

Em situação semelhante está o viaduto no Riacho Fundo, que será erguido sobre o entroncamento de acesso à Região Administrativa (RA) com a DF-075 (EPNB) e a Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), de Águas Claras. As licitações do viaduto de Sobradinho, na altura da BR-020 e do Recanto das Emas, próximo à DF-001, estão perto de sair e aguardam aprovação do financiamento junto à Caixa Econômica Federal (CEF).

“Não é por falta de recursos que essas obras vão deixar de acontecer”, explica o secretário de Economia, André Clemente. “Agora, é integrar as áreas de obras e de orçamento para que elas sejam efetivamente licitadas e iniciadas, garantindo não só a entrega de infraestrutura para a população, mas também a empregabilidade, a renda e a arrecadação tributária proveniente desse aquecimento econômico.”

 O secretário de Governo, José Humberto Pires, reforça o empenho na ação. “Vamos trabalhar para que todas as licitações saiam do papel entre julho e setembro e, no mais tardar, em outubro – isso tudo para que a gente comece as obras ainda esse semestre, e as que não forem possíveis agora, que sejam feitas no começo de 2021”, antecipa. “São 11 órgãos que estão empenhados para garantir a execução desses serviços”.

Pontes e túnel

Nesse caminho também há pontes, como a que está sendo erguida sobre o Córrego Samambaia, na DF-079 (Estrada Parque Vicente Pires/EPVP. Essa obra, de responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF), está orçada em R$ 2,4 milhões.

ponte sobre o Córrego Vicente Pires, uma demanda antiga da população, também está com bom andamento. A construção dará acesso direto a 15 mil motoristas que trafegam pela marginal da Estrada Parque Ceilândia (EPCL-DF-095) com destino à Estrada Parque Vale (EPVL/DF-087).

E, se tem viaduto e ponte, também tem túnel. A grandiosa obra do túnel de Taguatinga está na fase de execução dos desvios de trânsito necessários para a construção da passagem subterrânea.

“A intenção desse pacote é atender as demandas da população”, frisa o secretário de Obras, Luciano Carvalho. “Queremos gerar 20 mil empregos com esse pacote de obras, e é apenas o começo. Outras virão, e a população pode contar com isso.”

Pavimentação e revitalização

Também é possível sentir o cheiro de asfalto novo em várias vias. Em andamento, estão as pavimentações da DF-001, em Brazlândia, da DF-285, no Paranoá e da VC-371, em Santa Maria.

Urbanização

A urbanização da capital – ou ajardinamento, como costuma dizer o governador Ibaneis Rocha –, também está no rol de serviços prioritários.  É o caso da continuidade das obras na W3 Sul. Atualmente, a 511/512 Sul está pronta e a 509/510, em obras. A revitalização das quadras 513/514 e 515/516 se encontra em licitação, o que deve ocorrer nos próximos dias com os projetos da 502 até a 508 Sul. Outro endereço que será requalificado no Plano Piloto é o Setor de Rádio e Televisão Sul (SRTVS), com investimentos de R$ 5,2 milhões.

Outras licitações que devem sair nos próximos dias são a da revitalização da Avenida Hélio Prates, em Ceilândia, e a referente às obras de infraestrutura do trecho II do Sol Nascente/Pôr do Sol.

Em Vicente Pires, a cidade continua recebendo a infraestrutura que nunca teve, até então. Em 12 de agosto, ocorre a licitação para contratação de empresa responsável pela execução de obras de drenagem, pavimentação, sinalização e calçadas das vias internas e principais dos lotes 2, 5, 8 e 9 – serviços que não puderam ser finalizados nos contratos existentes.

Ao analisar a lista de obras, o presidente da Novacap, Fernando Leite, aponta para problemas graves que aparecem ou se destacam quando uma crise bate à porta: “Tão grave quanto a pandemia é o desemprego, é a fome, é a falta de esperança do povo. Então, as obras virão para devolver o emprego. E, tendo emprego e renda, você resolve uma série de problemas; inclusive, devolve a autoestima das pessoas. A Novacap vai participar com uma série dessas obras”.

Educação

A rede pública de ensino também vem sendo contemplada. Duas unidades escolares estão próximas de serem finalizadas. Uma é a Escola Técnica da Vila São José, em Brazlândia, e outra, o CEF 01 na Vila Planalto, no Plano Piloto. Ambas têm previsão de entrega para agosto. Outra que vai ser entregue ainda este ano é a Escola Classe 01 Porto Rico, em Santa Maria.

O GDF ainda prevê novas dez creches, com aplicação de R$ 45 milhões. Dessas, cinco estão em licitação: na Rua 18 da Vila Telebrasília, na EQ 01/02 do Gama, na Quadra 23 de Planaltina, na Quadra 109 do Recanto das Emas e na EQNP 08/12 de Ceilândia.

Saúde

Área essencial, sobre a qual os olhares ficaram ainda mais atentos durante a pandemia, a Saúde tem uma lista grande de execuções. Entre os destaques, estão a construção de novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e as sete novas unidades de pronto atendimento (UPAs) – essas com previsão de entrega ainda para 2020.

Segurança

Na área de Segurança, a reforma da 17ª Delegacia de Polícia, em Taguatinga Norte, deve ser concluída até dezembro. Outras unidades, como a 9ª DP, no Lago Norte, e a 10ª DP, no Lago Sul, terão os reparos iniciados ainda neste semestre. Diversos batalhões da Polícia Militar também serão construídos ou reformados, garantindo boas instalações para a corporação.

“Esse é um esforço para que 2020, apesar de toda a pandemia, seja um ano de entrega, e a economia não sofra tanto os efeitos do que está acontecendo aí”, finaliza o secretário André Clemente.

(Agência Brasília)

Next Post

Portaria do Ministério da Cidadania suspende procedimentos operacionais do Bolsa Família