Geração Brasília, de esperança a decepção para o povo do DF!

978

geracaococa

A população do Distrito Federal, foi as urnas em 5 de outubro de 2014, e confiou suas esperanças em Rodrigo Rollemberg, candidato a governador e Renato Santana, vice-Governador, os eleitores convictos de dias melhores retornaram no dia 26, para chancelar a vitória em segundo turno da chapa que tinha como slogan “Geração Brasília”, slogan este que trazia muita esperança e uma nova forma de fazer política, com mais desenvolvimento e melhorias na qualidade de vida da população principalmente mais carente.

Rollemberg que tem como Vice-Governador Renato Santana, um jovem vindo dos movimentos partidários, que teve fundamental importância na consolidação da juventude do PSDB, juntamente com a então executiva regional Jovem, que coordenou a campanha Maria de Lourdes Abadia, ao Buriti em 2002.

Rodrigo é o representante da classe mais abastada na população de Brasília e Renato, trouxe o equilíbrio a chapa, pois é servidor de carreira e morador de Ceilândia, a mais de vinte anos, ambos têm a missão de transformar o DF, em uma cidade prospera e com mais desenvolvimento.

Os atuais gestores que tomaram posse em 1 de janeiro de 2015, já estão no comanda da capital do país a nove meses, e até o momento praticamente nada pode ser feito.  Rollemberg sempre que se dirige a imprensa e a população tem um discurso de que nada vai bem, as finanças do governo estão no vermelho, e tem como desculpa da má gestão do governo anterior que teria deixado uma herança maldita.

A grande questão é que em vários pontos o atual governador, não vem suprindo as esperanças daqueles que confiaram seus votos em uma proposta de governo inovadora, que tinha como base a geração de novas oportunidades de emprego, mais transparência e a eleição dos administradores regionais através do voto popular dentre outras propostas que poderiam elevar nossa cidade novamente a referência nacional.

O DF, que vemos hoje é um dos campeões do desemprego, grandes empresas mudando suas sedes para o entorno, uma população amedrontada com as constantes derrubadas e lixo, mas muito lixo e descaso com a saúde, segurança, educação e preservação ambiental em todas as cidades de DF.

Servidores públicos concursados e comissionados cada vez mais desestimulados como é o caso dos trabalhadores da saúde que estão com suas horas extras atrasadas, faltam condições básicas de trabalho, já as demais categorias que prestam serviços ao governo que deixou de ser do Distrito Federal e passou a ser somente Governo de Brasília, ficam apreensivos sempre que surgem notícias de que terão seus salários parcelados ou atrasados e até mesmo com a possibilidade de demissões.

Colocando a colher no café alheio: Se nada vai bem e nada está sendo feito, será que não é hora de o Governador dar um verdadeiro choque de gestão e tirar os técnicos colocando políticos que conhecem e sabem como é o funcionamento da máquina pública?    Porque não tentar um meio termo com os poderes legislativo e judiciário, para que sejam construídas soluções definitivas para tirar nossa cidade do caos?