Telemetria agiliza reparos na rede de água do DF

Telemetria agiliza reparos na rede de água do DF

Até julho, as principais redes de distribuição da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) estarão 100% monitoradas por telemetria. O sistema permite identificar, em tempo real, problemas no abastecimento provocados por vazamento, obstrução ou danos na estrutura.

Com a medida, a empresa pode agir com mais rapidez para corrigir o problema e manter a normalidade do abastecimento. A telemetria consiste na instalação de um dispositivo eletrônico sem fio nas válvulas de controle das redes de água.

“Descobrir um problema de forma rápida significa diminuir interrupções no fornecimento de água, garantindo a continuidade do abastecimento para a população”, explicou o presidente da Caesb, Luís Antônio Reis.

Esse aparelho mede a pressão da água distribuída, monitorando o comportamento da rede. A Caesb começou a implantar o sistema de telemetria em novembro de 2023, com investimentos de R$ 5,2 milhões.

Até maio, foram instalados 378 dos 754 pontos de medição previstos no contrato gerido pela Superintendência de Manutenção Industrial da Caesb, ou seja, 50% do total programado. A companhia garante que os outros 50% serão concluídos até julho.

A companhia monitora os dados registrados pelo sistema de telemetria por meio de centros de controle das superintendências de operação e manutenção de redes Centro-Norte e Oeste-Sul.

A Caesb dispõe de outros meios para evitar vazamentos e a consequente perda dessa água. Um deles é o uso de válvulas redutoras de pressão (VRPs) ao longo das redes da companhia. Outro recurso para combater vazamentos e aumentar o controle da pressão nas redes é o sistema de monitoração automática noturna.