SALA DE IMPRENSA ABBP | Caiado acredita no potencial da agricultura para recuperar a economia do Brasil e do Estado de Goiás

Durante entrevista coletiva online, concedida aos jornalistas e blogueiros da ABBP, governador de Goiás falou das ações e medidas da sua gestão voltadas para enfrentar e vencer o coronavírus.

Goiás é um dos estados mais antigos do Brasil e, já foi considerado, um dos mais ricos. Atualmente, o estado é governado por um político que gostar de encarar os problemas de frente. Nesta quinta-feira (04), o chefe do Palácio das Esmeraldas (sede do governo de Goiás), Ronaldo Caiado, do Democratas, foi o entrevistado da sala de imprensa da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno, a ABBP. O evento online foi transmitido nas redes sociais dos blogs e portais dos jornalistas e blogueiros associados a entidade.

Durante a abertura da entrevista coletiva, o governador Caiado fez questão de registrar que assumiu um estado falido. Talvez, recuperar a economia de Goiás, seja um dos maiores desafios da carreira política dele. Ronaldo Caiado atribuiu o descaso com a máquina pública aos seus antecessores e revelou que os casos de corrupção, que levaram o Estado de Goiás à banca rota, eram inúmeros. Sem citar nomes, o governador mencionou que tanto Goiás, como o Brasil, estavam em meio a uma “pandemia da corrupção”.

“Herdamos um estado com uma dívida consolidada em mais de R$ 20 bilhões. Esse foi o quadro em que recebemos o estado e conseguimos, no decorrer do ano, chegar ao final, zerados, lógico que ficando ainda os restos a pagar. E quando começávamos a decolar as ações no estado, tivemos pela frente o coronavírus”, salientou o governador.

COMBATE AO CORONAVÍRUS – Ronaldo Caiado, que é médico, foi um dos primeiros governadores do país a decretar a quarentena em decorrência da pandemia do coronavírus. Segundo ele, o estado goiano chegou a manter 70% da população em isolamento social. Ao justificar o que o levou a adotar a medida, Caiado afirmou que seria difícil enfrentar um vírus desconhecido com uma rede pública de saúde com sua infraestrutura totalmente fragilizada, principalmente, das cidades vizinhas ao Distrito Federal.

“Nós priorizamos promover um atendimento regionalizado. Fizemos uma policlínica na região de Posse, que é hoje é referência em ressonância magnética e tem 21 especialidades médicas. Em curto espaço de tempo, reassumimos o hospital de Luziânia e implantamos uma UTI. Amanhã (05), vamos receber o hospital de campanha de Águas Lindas, que é uma parceria com o governo Bolsonaro, que terá 20 leitos de UTI e 180 de enfermaria. E em Formosa, também transferimos o hospital para o estado e estamos terminando de construir lá uma policlínica. E com isso, criamos um tripé para atender a população, não só durante o coronavírus, mas, de forma continuada”, disse o governador.

PREOCUPAÇÃO COM O ENTORNO – Caiado demonstrou que conhece de perto a realidade das cidades goianas do Entorno do Distrito Federal. O governador lembrou que no começo da crise da pandemia do coronavírus, ele disse que a região era a parte do estado em situação mais crítica. “O Entorno de Brasília sempre foi o meu foco. Nós corremos para poder atender a população dessa região”, declarou. Ronaldo Caiado ainda ressaltou que “se os líderes não tiverem compromisso, o resultado que vamos ver é esse, com seis cidades do Entorno com alto índice de casos confirmados (de coronavírus)”.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS – Ao ser questionado sobre a sua participação nas eleições municipais deste ano, Ronaldo Caiado declarou que a campanha eleitoral passou para um segundo momento, pois está trabalhando para poder combater a pandemia. Segundo o governador, o pleito deve ter uma nova data. “Não tem porque, nesse momento, antecipar esse debate”, enfatizou.

RECUPERAÇÃO ECONÔMICA – O governador Ronaldo Caiado se demonstrou bastante otimista quanto aos cenários e recursos que podem fazer com que o Brasil e o Estado de Goiás recuperem as suas economias. Hoje, Goiás é o terceiro maior produtor do setor agropecuário do país e Caiado aposta que o estado chegará ao segundo lugar.

“Depois da pandemia, ninguém vai fazer economia para comprar iPhone (mostrou o seu aparelho celular), ninguém vai fazer economia para fazer viagem de turismo na Europa, ninguém vai gastar com supérfluo. As pessoas vão querer ter garantia alimentar. É o mundo todo. Eu já disse isso ao presidente (Bolsonaro). Ele pode chegar e dizer: o único país que consegue alimentar o seu povo, é o Brasil. Não tem outro país para disputar conosco”, afirmou Caiado.

Assista abaixo a íntegra da participação do governador Ronaldo Caiado (DEM) na Sala de Imprensa ABBP.

https://www.facebook.com/associacaoabbp/videos/263958234844226/

Por José Fernando Vilela – Dir. de Comunicação e Marketing da ABBP

Next Post

SALA DE IMPRENSA ABBP | Valdir Oliveira, do Sebrae/DF, é o entrevistado desta terça (09)