Onde está o dinheiro dos nossos impostos?

1332

inndignados-governo-povo-impostos-indiretos

Por: Renata Poli

O Brasil tem umas das maiores cargas tributárias do mundo o que equivale a cerca de 35% do PIB, percentual este maior que das maiores economias do mundo como Austrália, Estados Unidos, Suíça dentre outros. Porém, quando se trata do percentual de retorno dos impostos o Brasil é o país onde tem menor retorno dos impostos ficando em trigésimo lugar conforme estudo feito em 2013.

Nosso país apesar de ter a maior carga tributária, tem o menor percentual de investimentos na melhoria da qualidade de vida da população. É considerado um dos países, mais ricos do mundo com uma área agrícola e de pecuária invejável para muitos país, mas em contrapartida também milhões de pessoas passam fome e encontram-se na pobreza extrema.

O Brasil, tem em sua história muitas passagens marcadas pela corrupção e má gestão do dinheiro público, milhões e talvez bilhões gastos com inutilidades, projetos e programas que não atendem as expectativas da população, mas que de alguma forma atendem os interesses dos poderosos mandatários de cargos políticos ou grandes empresários que vivem às custas dos impostos pagos por um povo pobre e sofrido.

Os desvios de recursos públicos, as pedaladas fiscais, truques, isenções de impostos distribuídos de forma desigual na cadeia produtiva, e gastos excessivos principalmente no ano passado, que foi de campanha eleitoral, foram noticiados, pelos órgãos de imprensa e com o advento da internet e redes sociais, onde a disseminação dos absurdos cometidos por gestores mal-intencionados e que utilizam do cargo para tirar proveito próprio tem feito com que muitos evitem cometer deslizes.

Todos estes problemas elencados causou o aumento da inflação que de janeiro até agosto já soma 9,5259%, índice que a vários anos não havia sido alcançado com o aumento da inflação, diminui o poder de compra da população, aumenta as taxas de juros e com isso o desemprego.

Quanto ao poder judiciário e órgãos de controle apesar dos esforços, muitas vezes quando os ilícitos são descobertos, já não há mais tempo para recuperar os recursos desviados, ficando o prejuízo aos pobres contribuintes.

Colocando a colher no café alheio: A culpa não é só dos políticos, judiciário e órgãos de controle dos problemas e dificuldades que a população sofre diariamente, mas sim da própria população que não se atenta em também fiscalizar e cobrar resultados e a prestação de contas dos recursos arrecadados e investidos.

Da Redação do Portal ABBP