O ministro dos 3 minutos

262

Por Maria Célia

Lula é, sem dúvida nenhuma, o maior engano político que o Brasil já viveu. Eleito com um discurso socialista em defesa das classes menos favorecidas e contra a corrupção, suas atitudes contrapuseram a tudo o que pregou e prometeu.

Velhaco, falante e mentiroso sempre se safou das enroscadas em que foi se metendo, durante sua vida pública. Na ditadura descobriu que poderia se manter ileso, se colaborasse com o poder, e assim o fez.

No parlamento nunca fez uma lei que viesse de encontro às aspirações populares e mais do que isso foi contra tudo o que defendia: a liberdade e a democracia.

Impediu, com seu voto e os dos seus aliados, que as “Diretas Já” fosse aprovada no Congresso Nacional. Ele, que se dizia o representante da luta pela liberdade de milhares de brasileiros presos, nunca contou  que muitos dos seus “amigos” foram presos com a ajuda dele, indicando quem, onde e como estavam vivendo na época da ditadura. Isto trouxe para ele o passaporte da liberdade.

Tudo fora minuciosamente planejado na sua mente louca e ávida de poder. Sabia que existiam muitos outros lideres do movimento contra a ditadura, que não ele, mais capazes e que teriam maiores chances de serem levados à Presidência da República.  No exílio, eles deixariam o caminho livre para a sua caminhada.

Foi o grande acusador de Collor de Mello, acho que neste episódio ele aprendeu que a corrupção deve ser compartilhada, porque este foi o real motivo da cassação do Caçador de Marajás.

Mentiu sempre, ele mesmo admite isso e conta suas peripécias mentirosas Brasil afora, denegrindo a imagem dos brasileiros. Sorrateiro, nas sombras, bajulador, mentiroso conseguiu apoio até mesmo de figuras expressivas do governo contra o candidato do próprio governo, José Serra,  nas eleições em 2002.

Levado ao poder, com a maior manifestação política do povo brasileiro, podia fazer as grandes reformas sociais que são necessárias para o avanço do Brasil. Mas tinha se perdido no caminho, vendera a alma ao diabo, fizera todo tipo de acertos e promessas para chegar à Presidência da Republica. Queria mais. Queria instalar uma Ditadura socialista, igual a de CUBA, que o perpetuasse no poder.

Sabia muito bem que o domínio ditatorial passa por partidos fortes que necessitam de dinheiro para se manterem no comando. Então iniciou o maior roubo de dinheiro público da história brasileira. Mensalão, Mensalinhos, Bel Monte, PASADENA, Petrobras, Fundos de Pensão, BNDS, Correios, Obras, saúde, educação, esportes, ciência e tecnologia, enfim onde tinha um comando petista tinha obrigatoriamente a caixinha do partido, do arrecadador da caixinha, do entregador do dinheiro, do sub chefe até chegar no Chefe absoluto. Então descobriu como era bom ser elite, coxinha, milionário, e aumentou a derrama dos cofres públicos.

Paralelamente levou dinheiro que devia ser destinado às políticas públicas de desenvolvimento do Brasil para ajudar países socialistas, desde que contratassem as grandes empresas brasileiras doadoras de propinas, que hoje estão com seus presidentes envolvidos em corrupção, alguns já sentenciados.

Tem um projeto de poder maior: quer a América Latina. Na sua loucura aspira um grande país continental onde ele seria o líder.

O Brasil, estava em processo de desenvolvimento e crescimento, respeitado internacionalmente quando chegou a era Lula, cheia de promessas de avanços sociais. Houveram sim, mas a um preço tão alto que melhor seria se estivéssemos no patamar de 2003

No final dos oito anos de mandato já existiam os rumores dos grandes desfalque públicos que o PT fazia, mas o Chefe nunca sabia de nada. Tentou cooptar e calar a imprensa, não conseguiu totalmente seu intento, então declarou guerra aos meios de comunicação. Para indicar seu sucessor escolheu uma pessoa que realmente nunca seria capaz de conduzir a nação, porque é incapaz de concretizar uma linha de raciocínio sem falar bobagem. Mas ele nunca se preocupou com isto. Só queria alguém que segurasse sua cadeira, seu trono.

O grupo de Dilma quis escrever outra história, mas o Brasil já estava com o pé na lama da herança maldita de corrupção que sangrara o Brasil durante oito anos no Governo Lula. Ela nunca teve nem o comando do partido, nem do governo. Lula sempre atuou nos bastidores, comandou, indicou e recebeu propina. Ela como fantoche que foi, nunca teria pulso para mudar a história. Foi assim, que se sentindo acuada Dilma entrega o governo à Jararaca.

Este é o momento mais angustiante da história do Brasil do século XXI. O povo não aguenta mais, não aceita o comando rancoroso, de um corrupto que persegue instituições e pessoas honradas, que é incapaz de falar duas frases sem soltar um palavrão. Que mente descaradamente.  Os líderes loucos sempre vivem uma história de destruição e sangue.

Cabe aos magistrados e políticos brasileiros falarem o que nós, o povo, desejamos neste momento:

Fora LULA! Fora Dilma! Fora Corrupção!

Da Redação do Portal ABBP