CLDF: Pra não dizer que não falei das flores

874

CLDFPor Ricardo Noronha

A população do Distrito Federal não se deu conta da importância da CLDF. É bem verdade que a Câmara se comunica mal. Pelo menos é o que a gente percebe, haja vista que o eleitor ainda não compreendeu sua importância e a critica em demasia. O que está acontecendo e qual é o entrave?  Estamos falando línguas diferentes? Qual é a palavra mágica para o desentrave?

O trabalho dos 24 Deputados Distritais é importante para a nossa cidade, mas a política nacional atravessa momentos nebulosos que acabam afetando nossos digníssimos representantes. Soma-se a isto um punhado de ações que não acrescentam em nada na vida dos brasilienses e afasta o eleitor da sua crença. Atos desnecessários como despesas exageradas, a locação de serviços que não conferem com o determinado, a ingerência de parlamentares em defesa de causas próprias, o abuso do individualismo e a falta de unidade formam um conjunto de “mordomias” que poderiam ser extirpadas do nosso cotidiano e que, lamentavelmente, surgem para denegrir a imagem do legislativo local.

Os nobres deputados distritais precisam buscar um novo “modus operandi” para evitar eventual desgaste perante a população. Uma equipe não se faz apenas com a autoridade, mas com todos os que o cercam. Elege-se um parlamentar e governa-se com uma equipe. Agindo no coletivo se erra menos.

No conjunto de ações propostas, não adianta dizer que a Câmara Legislativa está perto do povo. É preciso dizer em alto e bom som o que ela está fazendo pelo povo. E ser direta, sem blá,blá, bla. Os eleitores não aguentam mais enrolação. Chamam isso de “demagogia”. Chegam a dizer que a CLDF até hoje não justificou a razão da sua existência. Qual é o balanço positivo? O que foi feito em benefício do povo? Quais ações relevantes?  Qual Deputado fez honrar o seu voto? As respostas precisam vir com exemplos de ações pontuais, ditas em palavras diretas, mês a mês, tipo falar do cotidiano, do almoço e/ou do jantar. É simples!

TÍTULOS E COMENDAS

Ah, mas CLDF deu títulos de cidadãos honorários para fulano, beltrano e sicrano. Eles merecem. Sem dúvidas, não se discute o mérito da questão (e até se discute). Mas convenhamos isso não enche a barriga de ninguém, nem daquele que ganhou a honraria. Qual é o papel do Deputado? É preciso discutir a sua origem? Deputados servem para criar leis e fiscalizar o executivo (e não fazer conchavos). Definir prioridades é essencial.  “Onde o dinheiro do povo será aplicado” e quem vai fiscalizar essas aplicações? Saúde pública, Educação, Segurança, Transporte, Turismo, Cultura, Geração de Oportunidades de Trabalho e Renda, Infraestrutura, Moradias, etc. E por falar em moradias… DERRUBAR CASAS QUEIMA O FILME DE QUALQUER GOVERNANTE!

GDF

Para evitar derrubadas, convém-se a aplicação de “medidas preventivas”. Mas moço, explica melhor isso. Medidas preventivas são aquelas que antes de deixar você construir a casa, vai lá e avisa: Não pode construir ai não! Se assim o fizer sua casa será derrubada, você será multado e ainda pode ser preso. É crime invadir área pública. E nada disso é feito. A Agefis serve para DERRUBAR e não para prevenir. Esse papel fiscalizador é de outro departamento. Afinal, Administração Regional serve pra que mesmo?

CADÊ OS NOSSOS DEPUTADOS DISTRITAIS NESSA HORA? Ninguém aparece para “deitar” na frente do trator e evitar a derrubada? Não adianta disfarçar. Esse assunto é “prato cheio” para a CLDF. Basta exercer o seu papel de “representante do povo”.

Da Redação do Portal ABBP